FUNAAD - Manaíra - PB

Fundação Antônio Antas Diniz

Cultura, Educação, Ética, Fraternidade, História, Ação Social

PELO SINAL
FUNAAD
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

PELO SINAL – Vila e Distrito

A Vila de Pelo Sinal é o único distrito do município de Manaíra. Sua população no ano de 2010 era de 1.391 habitantes, sendo 721 homens e 670 mulheres, possuindo um total de 560 domicílios particulares, segundo o IBGE.

Sua área territorial é de 95,2 km² e possui uma densidade populacional de 14,61 hab./km2.

Foi criado pela lei estadual nº 2657, de 21 de dezembro de 1961, junto à emancipação de Manaíra.

Possui um Cartório do Ofício de Registro Civil e Tabelionato de Notas, Posto dos Correios, quadra esportiva, e vários estabelecimentos educacionais e comerciais. Possui terras férteis e predomina a atividade agropastoril.

Ao redor de Pelo Sinal localizam-se vários sítios que, em uma provável emancipação política, integrariam o novo município. São eles: Alegre, Areia de Olho d’Água, Alto da Boa Vista, Baixio de Pelo Sinal, Baixio dos Campos, Caboré, Cachoeira de Pelo Sinal, Ganguá, Jatobá, Lagoa da Cruz, Lagoa do Leonardo, Lagoa do Serrote, Lira, Logradouro, Montevidéu, Olho d’Água dos Rodrigues, Olho d’Água dos Antônios, Pelo Sinal, Poços de Pelo Sinal, Potó, Riacho Fundo, Salgado, Samambaia, São Joaquim, Tamanduá e Umbiguda.

Possui elementos turísticos como a festa mais tradicional da Vila, comemorada no dia 15 de outubro. A Lagoa do Leonardo e os morros cheios de matas são dignos de visitação. Areias de Pelo Sinal, nas terras de Manoel Cazuza, foi palco de uma das mais violentas batalhas entre as volantes da Paraíba e de Pernambuco, contra o bando de Lampião.

CENTRO DA VILA. TEM SUAS RUAS E PRAÇAS CALÇADAS E ARBORIZADAS

 

HISTÓRICO:

Gentílico: Pelosinalense

Denominação do Nome: “pelos sinais” que os caçadores se orientavam. Ouvia-se dos mais velhos, que naquela região vivia um povo isolado, uma lagoa e uma grande mata. A existência de muitos animais silvestres despertava o interesse de caçadores, que vinham das partes de Triunfo. Eles se aventuravam nessas matas e, para não se perderem, ou saber como chegar à lagoa - ponto no qual a caça era certa -, faziam sinais nas arvores, indicando a direção.

Quando alguém que não conhecia, queria ir até lá, perguntava como fazer para chegar até o local da caça. O orientador respondia que devia seguir as marcas feitas em determinadas árvores: “vá pelos sinais”. E assim o nome do lugar ficou conhecido como Pelo Sinal.

A família que primeiro chegou a Pelo Sinal foi a de Manoel Alves Siqueira. Depois do seu falecimento, sua filha, Maria Pereira da Silva, herdou as terras e doou parte delas para a construção da igreja.

Além das famílias que ali foram se multiplicando, aos poucos, vieram migrantes de outros municípios. O senhor José Andrelino da Costa Neto, juntamente com sua família, foi um dos primeiros a chegar.

O distrito do Pelo Sinal começou a se desenvolver com o comércio, que foi se instalando aos poucos. Os comerciantes que se destacaram foram: Seu Lero, no setor de frutas, com destaque para banana e manga; os Estevão, com loja de tecidos; e Chico Bem, conhecido senhor de engenho da região, vendia os derivados da cana-de-açúcar.

A feira livre funcionava nos finais de semana, com destaque para a comercialização que acontecia em um galpão.

O senhor Francisco Dino foi um dos primeiros políticos locais, assumindo a função de Vereador, na Câmara de Manaíra.

 

 

 

 

 

 

 
 
Direitos Reservados. ©: Valdeny Antas Diniz